Vereadores têm mandado de prisão preventiva expedido pelo Gaeco

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpriu 25 mandados de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira (24), na Câmara Municipal de Londrina e em outros locais na cidade, por conta de uma investigação sobre negociação e aprovação de projetos de loteamento no município. O promotor Jorge Barreto da Costa, coordenador do Gaeco, revelou que as investigações começaram em fevereiro de 2016.

Na ocasião, os vereadores Mario Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB) estão envolvidos no caso e foram feitos pedidos de prisão contra os mesmos, entretanto, a Justiça não acatou o pedido. Ambos deverão ser afastados de suas funções na casa legislativa imediatamente e deverão usar tornozeleiras eletrônicas. No pleito anterior, Mario Takahashi foi reeleito para a Câmara Municipal de Londrina com 4.192 votos e no dia 1º de janeiro de 2017 foi eleito presidente da Câmara de Vereadores de Londrina para o biênio 2017-2018. Rony Alves durante as eleições municipais de 2016 recebeu 3.094 votos.

O delegado Alan Flore, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, acompanhou as buscas na Câmara buscando documentos e arquivos por conta da investigação pois há empresários e servidores públicos envolvidos no caso.

Em entrevista coletiva, Miguel Aranega Garcia, procurador jurídico da Câmara Municipal, comentou o fato. “Pela manhã foi feito o cumprimento do ato processual expedido pelo Gaeco. Desta forma, o presidente da Casa deixa as suas funções assim como o vereador também. Ambos estão impedidos de entrar na Câmara por 180 dias. Não sabemos ainda de todo o processo pois ainda iremos analisar toda a questão. O Evandir Duarte de Aquino (chefe de gabinete do Rony Alves) também está proibido de entrar no espaço público”, afirmou.

O vereador Ailton Nantes (PP), vice-presidente da Câmara Municipal de Londrina, assumirá o cargo de presidente da casa legislativa. Por enquanto ambos os vereadores afastados não serão substituídos por seus suplentes.

O juiz Délcio Miranda da Rocha, da 2ª Vara Criminal de Londrina, expediu ao todo 11 tornozeleiras eletrônicas. Além dos vereadores, o acessório foi destinado para Ossamu Kaminagakura (Gerência de Projetos e Acompanhamento de Obras), Evandir Duarte de Aquino (chefe de gabinete do Rony Alves), Luiz Guilherme Alho (empresário), Brasil Teodoro Filho (empresário), Cléber Moraes Brito (secretário do Meio Ambiente na gestão anterior), José Lima Castro (irmão do promotor Renato Lima Castro), Ignes Dequech, Vander Mendes e Homero (ainda não foi divulgado o sobrenome).

fonte: Bonde

URL curta: http://uraionline.com.br/new/?p=15651

Deixe um Comentário

Imagens

Desenvolvido por Media Point