Trabalhadoras a um passo da morte

Faxineiras teriam sido obrigadas a limpar o heliponto

Sem capacitação ou equipamentos de segurança, faxineiras ficam na borda do topo de um prédio de 28 andares

Uma cena assustou moradores e gente que trabalha em prédios próximos, no bairro Pioneiros, em Balneário Camboriú. Na quarta-feira pela manhã, sem qualquer equipamento ou sistema de segurança, duas faxineiras faziam a limpeza do heliponto no topo do edifício Solar Gonçalves, que tem 28 andares.
Funcionários do condomínio disseram que as moças fizeram o trampo obrigadas, sob ameaça de demissão. A administradora do condomínio garante que não autorizou o serviço e que abriu processo interno para apurar as responsabilidades.
As faxineiras ficaram quase toda a manhã na limpeza do heliponto, que fica a cerca de 90 metros de altura. O DIARINHO recebeu fotos que teriam sido tiradas por um encanador que trabalhava num prédio vizinho. As fotos mostram as trabalhadoras na borda do topo do arranha-céu, tendo que limpar a beirada com uma vassoura.
Segundo um funcionário do condomínimo Solar Gonçalves, as moças não queriam fazer o serviço, mas teriam sido obrigadas pelo monitor, sob ameaça de demissão (ele aparece na foto ao lado).
Para o empresário e escalador industrial Wagner Neves, o caso é gravíssimo. Segundo ele, a legislação obriga que esse tipo de serviço seja feito por empresas especializadas com funcionários capacitados e equipados.
Tudo ali, segundo ele, estava errado. As faxineiras poderiam ter despencado de lá por sofrerem “fobia (medo), vertigem, mal súbito, queda ou aumento de pressão arterial”. Para ele, o caso deve ser denunciado às autoridades da segurança do trabalho.
Carlos Spillere, gestor da Uptime, administradora do condomínio do Solar Gonçalves, disse que a empresa soube do problema ainda na quarta-feira. Segundo ele, a empresa abriu um procedimento para apurar a responsabilidade sobre o caso. “Foi uma decisão tomada sem o conhecimento e autorização da UPtime”, fez questão de dizer.
Tanto as duas faxineiras quanto o monitor são funcionários do condomínio e não da Uptime, afirmou Carlos. Mesmo assim, atividades como aquela só podem ser executadas com a autorização da administradora. De acordo ainda com Carlos, nenhum deles tem autorização de subir no heliponto e as manutenções são feitas através da contratação de empresas especializadas em trabalhos em altura.

Faxineiras teriam sido obrigadas a limpar o heliponto

fonte: O DIARINHO

URL curta: http://uraionline.com.br/new/?p=15315

Deixe um Comentário

Imagens

Desenvolvido por Media Point