Duas Lágrimas no Altar – Parte 1 – por Jair Padeiro

DUAS LÁGRIMAS NO ALTAR

 

Oi, gente um forte abraço. O nosso último texto foi “Nas águas do rio vermelho”, e agora com vocês o nossa nova e dramática história de amor; leiam, riam, chorem se preciso for; sintam-se envolvidos por esse fascinante mundo da literatura. Então, é com imensa satisfação e honradez, que lhes apresento…

 

Era uma quarta-feira, dezoito horas, o sol já estava se declinando, seu Augusto estava como de costume ouvindo música sertaneja, com seu rádio ligado lá na varanda, que fica no fundo da casa. Dona Roseli estava jogando milho para as galinhas no quintal da chácara, em um fundo de vale, lugar em que mora há muitos anos.

Nesse momento, Roseli tem uma surpresa muito agradável, ela começa a avistar de longe, lá depois da porteira uma pessoa se aproximando, e o coração já se enchendo de felicidade com o que via. Mal ela pergunta a Augusto, se consegue ver quem está se aproximando, e de lá do portão ouve um grito:

– Oi, mãe, olha eu aqui de novo!

Roseli, maravilhada

Que emoção ela sente ao ver o filho que há três anos estava distante dali, ela não se conteve e soltou a voz bem alto:

– Meu filho, você voltou!

Ela corre ao encontro de Renato, os dois se abraçam e nesse momento chega Seu Augusto e a emoção foi muito forte. Alguns minutos depois:

– Pai, me fala como estão as coisas aqui, já faz três anos que eu fui embora daqui, vocês bem sabem o motivo que eu me ausentei por todo esse tempo, era a única maneira de me esquecer de Alexandra depois que o nosso namoro foi proibido pelo pai dela.

– Meu filho, você não esqueceu essa moça?

– Não, pai, eu confesso que não, a nossa vida foi uma história, tem uma história muito bonita, nós crescemos juntos, nunca nos separamos por nada, e de repente o pai dela muda daqui do lado da nossa casa, vai embora e com mão de fero proíbe o nosso namoro. Engraçado,‘né’, pai? Quando ele era pobre, ele não se importava que Alexandra me namorava, mas o homem ficou rico, se tornou um empresário muito influente na sociedade, aí o que aconteceu?Essa chácara, esse casarão de madeira não servia mais pra ele, mudou-se para um bairro nobre, foi viver no meio da nobreza e aí eu não servia mais para ser o seu genro, queria que ela se casasse com um moço rico. Ele, meu pai, minha mãe, esqueceu-se de suas raízes, não se lembra mais que um dia foi pobre, que a sua filha cresceu ao meu lado correndo descalça por estas terras.

– É, meu filho, essa é a realidade. O senhor Alexandro ficou rico e o dinheiro mudou sua personalidade.

– Não, meu pai, não é isso. O dinheiro apenas mostra quem realmente é a pessoa, uma pessoa íntegra e humilde não muda com a fartura do dinheiro, o amor, a integridade está no D.N.A. da pessoa, seja ela rica ou pobre, eu sempre percebi um pouco de orgulho no seu Alexandro. Isso se chama caráter, índole; e quem tem, já nasce correndo no sangue; quem não tem, vai deixar aflorar em alguma circunstância da vida. Isso é uma dolorosa e mais pura realidade.

– Eu acho que você tem razão, depois que ele ficou rico e foi morar em um bairro nobre, ele nunca mais veio aqui, veja a chácara dele, abandonada, o mato está perto da casa.

– É, pelo que vejo são três anos de abandono.

Dona Roseli, que até o momento só ouvia a conversa, agora entra no assunto:

– Renato, eu preciso te dizer uma coisa, eu ainda não falei nem para o seu pai, eu achei que eu não precisava nem falar sobre isso, mas com sua volta eu acho que devo te dizer, se você ainda tem alguma esperança de voltar com a Alexandra após três anos de separação, eu te peço pra que você não mais alimente esse sonho, porque daqui a três dias, meu filho, neste sábado que se aproxima, Alexandra irá se casar.

Renato muda o semblante, ele está sentado e se levanta rápido. Clava os olhos na mãe e faz um desabafo.

– Dona Roseli, me fala que isso é mentira, a senhora não quer me ver em um caixão, não quer né? Então fale minha mãe,diz que isso não é verdade!

– Fique calmo, meu filho, com o tempo você esquece a Alexandra e encontra uma outra moça que você também vai amar.

O filho em prantos abraça a mãe e chora por alguns minutos. Depois de uma hora, quando tudo já está mais calmo, Renato diz essas palavras:

– Eu acho que o amor que eu sinto por essa moça nunca vai morrer dentro do meu coração, eu sempre vou amá-la, e acho também que ela jamais me esquecerá, o nosso amor foi tão lindo. Meus pais, esse amor tão lindo que nasceu e floresceu em nossos corações desde a infância ficará cravado pra sempre em nós. Mas devo dizer uma coisa, nem que seja a última coisa que eu faça em vida, eu irei a este casamento.

            Três se passam, numa monotonia sem cor, como se tivessem transcorridos semanas; é chegada a hora da cerimônia. Alexandra está em seu quarto com a empregada, as duas estão olhando o vestido de noiva e a moça diz para a noiva essas palavras:

            – Alexandra, toda moça sonha com esse dia, o dia do seu casamento, você deve estar muito feliz, né? Pois esse dia chegou para você, hoje você vai vestir-se de noiva e realizar o seu sonho de amor.

            – Engano seu, Márcia, eu vou sim me vestir de noiva, e vou me casar hoje, mas eu não vou realizar sonho algum. Eu namoro o Ricardo faz tão pouco tempo, seis meses apenas, mas não o amo de verdade, eu apenas gosto um pouco dele. Vou me casar porque estou sofrendo muito e me casando talvez eu venha a amá-lo com o passar do tempo. Eu amo mesmo, de verdade, é o Renato, já faz três anos que o meu pai proibiu o nosso namoro e ele foi embora pra me esquecer. Não sei onde ele está, nem se ele já casou, enfim, não sei seu destino, só sei de uma coisa, eu ainda o amo. Não sei qual seria a minha reação se eu o reencontrasse.

            As horas passam, o relógio marca quinze horas e quarenta e seis minutos. Lá em frente à igreja está Renato só observando os carros de luxo encostarem no pátio da praça, a igreja está repleta, só falta a noiva chegar. O relógio da catedral dá quatro batidas seguidas, é a hora do casamento, mas a noiva como sempre chega às quatro e quinze. O carro para na porta da igreja. A noiva vem em um carro todo enfeitado, estava acompanhada dos padrinhos enquanto subia as escadarias da igreja. Ao chegar ao fim das escadas, inicia-se a marcha nupcial. Os convidados se viram para trás e na medida em que ela vai caminhando pelo corredor, ela recebe uma chuva de flores. Nesse momento, Renato entra pela porta lateral da igreja e vai lá na ponta do primeiro banco, e ali fica aguardando o início da cerimônia. Alexandra, que nesse dia vai se casar, sem amor, simplesmente para esquecer o homem que ela ainda ama, ela nem imagina que há poucos metros do altar está o amor de sua vida, observando cada movimento que ela faz ali na igreja.

            Os padrinhos estão todos no altar em forma de círculo, o reverendo então dá início à cerimônia.

            Depois de alguns minutos, já quase no final do sermão, Renato não tirava o olhar de Alexandra, sua mulher amada, a mulher dos seus sonhos. Nesse momento o seu coração bate forte, Renatinho se emociona e num instante ele viaja a sua memória em um passado bem distante e lembra, e relembra todos os momentos felizes que viveu com Alexandra, a menina que cresceu a seu lado. Ele entra no túnel do tempo e trás à tona a sua infância e adolescência, e a sua juventude, todos os anos dourados em que esteve ao lado de seu único amor. Ele faz um desabafo consigo mesmo como se estivesse conversando com ela.

– Oi, Alexandra, você se lembra de quantas vezes nós estivemos nessa igreja quando éramos criança? Quantas orações fizemos juntos, quantos louvores nós dois cantamos? Você se lembra, né? Nós cantávamos no coral da igreja, e aquele domingo que nós saímos do louvor, fomos brincar no parque, e ali por muito tempo ficamos. Fiz tranças em seu cabelo enquanto você me diziacoisas bonitas. Suas doces palavras, tão suaves ainda ressoam por meus ouvidos. “Renatinho, quando eu crescer vou me casar com você. E vou ser somente sua e você vai ser só meu.” Nós dois crescemos e veja só, você está se casando com outro homem. E eu aqui com a alma dilacerada, tudo o que posso fazer é assistir você saindo de minha vida pra sempre.Nós dois crescemos juntos, e o tempo voou pra nós. Eu me recordo de quando você fez quinze anos, foi uma festa muito bonita, e você dançou comigo o dia todo, apenas comigo. No fim da festa, quando todos já haviam partido, em um descuido de seus pais, demos nosso primeiro beijo. É, Alexandra, foi na sua festa de quinze anos que nos beijamos pela primeira vez, ainda me lembro como se fosse hoje, você tinha quinze e eu dezessete, mas você ainda era mais alta que eu e tive de ficar na ponta dos pés pra te beijar. E depois deste, vieram tantos outros, fizemos muitas juras de amor, namoramos escondidos por dois anos. Mentíamos para nossos pais, dizíamos que éramos só amigos, talvez seja esse o pecado que cometemos. E quando você completou dezessete, e eu com dezenove, aí a gente contou para o seu pai sobre o namoro e dissemos a ele que queríamos continuar esse namoro, e que num futuro próximo eu queria me casar com você. Ele e sua mãe aceitaram o nosso, aí foi só felicidade, foram mais quatro anos de amor. Você morava na chácara ao lado da chácara de meu pai, lá da minha casa eu via a sua casa, o seu pai era pobre igual ao meu, mas com o passar do tempo, e foi muito rápido, o seu pai se tornou um empresário bem sucedido, a riqueza apareceu e o seu pai foi mudando de personalidade. Aquele casarão de madeira e aquele bairro de pessoas humildes não mais serviram para ele, e vocês se mudaram para um bairro nobre onde só tinha a burguesia. Eu ainda me lembro, a sua mãe chorou muito, ela não queria sair dali e se não bastasse ele tivesse te levado para longe de mim, também proibiu nosso namoro com mão de ferro. Eu era pobre e não servia mais para ser o namorado de sua filha, seu futuro genro. Ele queria ver você se casar com um moço rico. Esse foi o fim do nosso namoro, mas eu tenho certeza que não foi o fim do nosso amor. Alexandra, eu sinto que você ainda me ama, assim como eu te amo. Fui embora pra bem longe pra te esquecer, fiquei três anos longe de você, mas a distância não matou o amor que eu sinto por ti.

            Tudo corria de um jeito normal enquanto Renato viajava no tempo. De repente o inesperado acontece: Alexandra olha na ponta do primeiro banco e, como que num milagre, olha para ele, ela vê e reconhece Renato ali, sentado com os olhos cravados nela, é como se enxergasse aquele garoto por quem se apaixonara em sua infância.

Nisso, pensa consigo mesma: “Meu Deus, não é possível, o Renatinho está aqui na igreja?!”

Fica toda trêmula, suas pernas ficam bambas com tamanha surpresa que lhe deixa imóvel, estática, perplexa. Mas ela se controla para que ninguém perceba, firma o pensamento e fala consigo mesma: “Eu tenho que ser forte, não posso dar escândalo dentro da igreja”.

E Renato está ali com o olhar cravado na noiva, o grande amor da sua vida, os convidados nada percebem.

É chegado o momento decisivo da cerimônia. O reverendo olha para os convidados e faz a pergunta. “Se tem alguém aqui entre nós que tem, por alguma razão, algo contra esta união, que fale agora ou cale-se para sempre”.

FIM DA 1ª PARTE

 

URL curta: http://uraionline.com.br/new/?p=15861

43 Comentários para “Duas Lágrimas no Altar – Parte 1 – por Jair Padeiro”

  1. Takeshi

    Pensei que não fosse mais ler seus romances Jair. Mas, só pela chamada dá pra perceber que valerá a pena esperar. um grande abraço

  2. Alycia Keys

    Nossa Jair. que alívio. Pensei que o site tivesse saido do ar e você não escreveria mais. Posta logo. Estou curiosa.

  3. Quenia

    Salve Jair. Que saudade.

  4. Willer

    Aleluia. Pensei que não leria mais seus contos.

  5. Takeshi

    Misericórdia.. Devorei cada palavra, cada frase. cada letra… Me coloquei no lugar de Renato.. Que dor imensa.. Será que teremos um final feliz? Jair.. Você surpreende.. Demorou hein…

  6. Quenia

    Sinceramente, cada detalhe é uma cena que se passa na minha mente… Quem nunca sofreu por um amor.. Estou empolgada.. Não tarde para postar os próximos capítulos Jair.. Sou sua eterna fã.

  7. Zeila

    Encantada e triste ao mesmo tempo.. O que será que virá?

  8. Willer

    Pensei que nem o site viria novamente. Mas, como Deus é maravilhoso. O site voltou e voltou com essa pérola do Jair. Isso sinceramente deveria virar um filme.. de verdade.

  9. Ederaldo

    Amando até o momento.. Que Renato consiga ficar com o amor da sua vida…

  10. Roberto Fukuda

    Triste, mas, Tenho certeza de que tres anos não foram suficientes para afastar um grande amor.. aguardo

  11. Terence

    Como posso descrever a minha alegria e ao mesmo tempo a tristeza de Renato?

  12. Yuri

    Sem palavras.. já vivi isso..

  13. Ulisses

    Esse romance é digno de uma novela.. Que por sinal só está començando. Parabéns Jair.. Você é o último dos românticos.

  14. Ingrid

    Não demore para postar os capítulos posteriores. Será que teremos um final feliz?

  15. Osvaldo Taque

    Torcendo pelo renato.

  16. Paulo Vela

    Li e leio todos os seus romances Jair. Você está de Parabéns, mas, esse é o mais dramático.. Espero que o decorrer da história consiga trazer o casal que foi separado pela ganância do pai de volta. Um grande abraço.

  17. Allanis Morisete

    Primeira vez que entro no site e fiquei animada, pois, além de notícias, traz também histórias de amor incríveis. E de um autor autentico de Uraí.

  18. Silvia Ramos de Oliveira

    No aguardo, torcendo por Renato.

  19. Dimas

    Muito emocionado. Deixarei meus comentários para a parte final. Parabéns pela riqueza de detalhes nos sentimentos dos protagonistas.

  20. Francisco Lima

    Grande começo para um romance que ainda vai render nobre amigo escritor jair. Parabéns.

  21. Gisele Araújo

    Parece até que vivi essa história.. Vamos ver se o final foi igual ao meu.. Saudades do meu amor verdadeiro…

  22. Henrique

    Super romance hein Jair.. Deveria escrever um livro.

  23. Junior Lima

    Hoje fiquei chocado com a história hein. Quando poderemos ver o desenrolar da história de renato.

  24. Keila

    Sabia que estava guardando uma carta na manga Jair. Sou sua leitora assídua.

  25. leila Lopes

    Tem cheiro que romance antigo.. Os mais belos.. os mais marcantes.. Seguindo aqui de Lisboa.

  26. Ciça

    Bravíssimo até o momento. Me deu nó na garganta.. Tenho a mais absoluta certeza de que o próximo capítulo será ainda mais dramático. Um grande abraço a todos do uraionline.

  27. Zuka

    Ótima leitura para acalentar a alma e o coração já machucado de tantas idas e vindas nessa minha vida. Parabéns ao autor. Se a história ocorrer como minha vida Renato passará o resto da vida sem o seu amor.. Mas, acredito que ele sim vai ser Feliz com a mulher amada.

  28. Xuxa Alfredo

    Um filme passando em minha mente.

  29. Carlos Alberto Onofre

    Incrível a descrição de cada linha do romance. Teletransporta o leitor para o momento vivenciado pelos protagonistas… Esperando ansioso pelo desfecho desse maravilhoso conto. Parabéns ao autor e aos responsáveis pelo site por dedicar um espaço a leitura de qualidade.

  30. Vanda Cobo

    Sou professora e gostaria de parabenizar o autor Jair Padeiro pela riqueza de detalhes acompanhado de ilustrações fabulosas. Adorando a história.

  31. Berenice

    Posta logo o próximo capítulo… curiosa aqui…

  32. Narada

    Grande Jair.. Valeu a pena esperar.. Não tarde para postar o resto. Um grande abraço.

  33. Miranda

    Bah Tchê. Que história empolgante..

  34. Monica C.

    Começou como em um filme, é uma pena não poder ler a história toda de uma vez… perde um pouco a emoção de ter que esperar…
    mas foi bom até aqui.. ótimo texto!

  35. Ziraldo no hospital

    Muito bom, lembra as novelas que passavam no meu tempo, coisa linda de se assistir, no caso aqui, ler… vou esperar pra ler o resto, espero que não seja uma história triste… pra quem viveu coisas dificeis na vida é muito duro ler uma história tão próxima da realidade que apresenta tragédias, a gente logo assemelha..

    quando sai o resto? textão!

  36. Roberto Santos

    Essa história ta correndo tão rápido, acho que vem surpresas por ai viu
    e essa noiva ai casando com um cara que ela nem ama, as vezes fico pensando… isso deve acontecer muito na vida real kkkkkkk

  37. Walter Freire

    Fantástica história. Quero ver o decorrer da mesma.

  38. Emerson Petriv

    Já falei pra meus pais que isso daria um filme, quero ver se vai ser como estamos esperando. Abraços

  39. Renato Ikeda

    O texto faz sucesso entre a colônia aqui do Japão hein.. Todo mundo aguardando como novela kkkkk

  40. Tereza Nishimori

    Parabéns até o momento e Arigatô né..

  41. Ian Salgado

    Posta logo o resto kkk. Muito bom..

  42. Oswaldo Pereira

    Nunca comentei, mas, sempre li seus romances maravilhosos Jair. Não me contive e tive que te falar. Aguardando ansioso o restante dessa história que começou de maneira arrebatadora. Meus mais sinceros parabéns.

  43. Wilma Angelina Ribeiro

    Muito bom primo! Aguardando a segunda parte

Deixe um Comentário

Imagens

Desenvolvido por Media Point