Sinos do Amor – Final

sino-da-igreja-de-vitrolles-franca“É só seguir essa estradinha e entrar no primeiro carreador, a direita bem no pé de uma montanha já é a mina, não tem como errar de longe você vai escutar o barulho da cachoeira que desce bem perto da mina”.

“Eu posso ir até lá conversar com ela?”

“É claro que pode meu filho”.

E lá está Ruanito depois de vários dias, pertinho da moça, ela nem percebe a sua chegada por causa do barulho da cachoeira, ele senta atrás dela, ela está lavando a roupa, e ele diz:

“Oi bombeira” – bem alto.

Ela vira de frente com ele e diz essas palavras:

“Ah Ruanito, que susto você quase me mata do coração”. – E dá um lindo sorriso junto com o rapaz. E conclui:

“Nossa, até que enfim apareceu”.

“É, eu demorei, mas estou de novo com você, parece que o seu negócio é mesmo mexer com água né, os dias da semana você é bombeira e no domingo você passa o dia lavando roupa né?”

“É a minha vida do sertão Ruanito”.

“Você não gostaria de morar na cidade, ter uma casa de luxo com todo conforte Rebeca?”

“Ha, quem sou eu moço para um ia ser uma madame, nasci no sertão, sou muito pobre e acho que vou viver para sempre assim, não posso sonhar com grandezas Ruanito”.

“Engano seu Rebeca, você sabia que Deus pode mudar a vida da gente a hora que Ele quiser?”

“Se Deus quiser moço ele pode fazer isso pra gente sim, mas nós aqui dessa colonha somos um povo esquecido do resto do mundo, trabalhamos o dia todo como se fossemos escravos e o que ganhamos não da para comer”. Algumas lágrimas deslizam pela face da moça e outras lágrimas também deslizam na face de Ruanito.

“Me desculpe por eu estar falando assim, o seu pai e o seu tio é nosso patrão”.

“Que isso Rebeca eu é que estou chateado e muito revoltado com isso, espero que você me perdoe por isso”.

“Você não tem culpa Ruanito”. Depois eles mudam de assunto.

Eles estão ali sentados um perto doutro, conversando sorrindo como duas crianças, depois a moça se levanta e termina de lavar a roupa e os dois sobem a estrada e Ruanito faz a ela uma pergunta.

“Amanhã você vai ser bombeira lá no cafezal?

“Sim, vou estar lá o dia todo”.

“Será que eu posso ser bombeiro junto com você?”

“Ah Ruanito, é claro que sim”. Os dois sorriem, e que sorriso bonito se estampou na face de ambos. O sino do amor estava começando a abater em dois corações ali no sertão.

E no dia seguinte lá estava Ruanito e Rebeca dando água para o povo no cafezal. Ruanito entrava por uma rua e Rebeca por outra. O jovem brincava com as pessoas, sorria, conversava e em poucos dias todos o amavam, Ruanito era muito bondoso. Os dois juntos, ele e a Rebeca desciam pra mina buscar água, subiam da mina, sorrindo, brincando, assim foi por muitas semanas. Ruanito estava batendo o sino do amor no meio daquele povo.

Novamente é um domingo. Rebeca está na mina e Ruanito aparece de surpresa e diz bem alto.

“Oi bombeira”.

“Ah Ruanito, de novo, assim você me mata”. Sorrisos.

“Não, eu não quero te matar.” – A moça se distrai e o sabão cai na água.

“Viu o que voe fez, por sua causa o sabão caiu na água e agora?”

“Eu pego pra você, não fique zangada comigo Rebeca.”

Abaixou-se e pegou o sabão da água e colocou de um jeito bem carinhoso na mão da moça.

“Rebeca o meu tio me falou que você já encantou muitos corações é verdade?”

“Ruanito eu nunca tive namorado, eu nunca namorei, eu Ruanito, nunca beijei um homem”.

“Eu também Rebeca nunca tive uma namorada eu ainda não sei o que é beijar uma mulher, então, nós somos iguais”.

“Será que eu posso acreditar nisso Ruanito?”

“Eu jamais mentiria pra você Rebeca, uma moça tão amável, tão meiga não pode ser enganada, ainda mais quando ela é conhecida por todos como rainha do Sertão.

“Uma rainha sem um palácio, sem um trono e sem um rei, assim sou eu Ruanito”.

“Engano seu Rebeca, o seu rei está aqui bem pertinho de você, bem na sua frente”.

Os dois estão a um palmo de distancia, um olhar penetrante nos olhos de Ruanito vai na alma de Rebeca, outro olhar penetrante de Rebeca vai na alma de Ruanito. Não deu mais para segurar, o coração está dilacerado, se derretendo como cera. Os dois se abraçam e Ruanito acaricia bem lentamente os cabelos negros e longos de Rebeca que está com a cabeça apoiada em seu peito. Em seguida um novo olhar e os dois se beijam com ternuras. O sino do amor bateu forte em dois corações em pleno sertão. A cachoeira, as águas cristalinas daquela mina, o sol, o lindo céu azul, enfim toda natureza foram testemunhas de um lindo amor que marcaria uma vida inteira de felicidades.

Enquanto tudo isso acontecia no sertão, lá na cidade Pablo se prepara para buscar o filho. Os cinco meses e alguns dias se passaram, já era fim das férias que o pai dera para o filho. Será que Ruanito voltaria com o pai? Veremos adiante.

São dezoito horas, Pablo e Estelita chegam na fazenda.

“E daí meu filho, conta o que você achou das férias prolongadas aqui na fazenda”.

“Foi muito emocionante meu pai, pra dizer a verdade pra mim aqui é um paraíso na terra, quase tudo aqui é muito bonito, amei, adorei ficar aqui por esses cinco meses e alguns dias”.

Juarez e Pablo se emocionam com as palavras de Ruanito, Estelita apenas ouve e fica calada, não tem nenhum entusiasmo ao ouvir o filho falar apenas da beleza que tem a fazenda. Ela conhecia muito bem a pobreza da colonha que o pai escondeu do filho por todos esses anos, sabia da mão de obra escrava e outros meios sujos dos irmãos para se enriquecerem. A mãe percebe que o filho queria dizer algo mais, mas se cala. As mães percebem o sentimento dos filhos sem que eles falem. Será que um dia Ruanito falaria para o pai sobre a colonha? Veremos adiante.

A noite passa e no dia seguinte acontece o inesperado, algo que Pablo nem imaginaria, chama o filho para o carro e o filho abre o jogo com essas palavras.

“Pai eu não vou voltar, pretendo ficar aqui até o término da colheita e depois vou me decidir o que eu faço. Meu pai eu conheci aqui na fazenda uma moça que será um dia a minha esposa, eu não vou embora sem a minha Rebeca”.

O pai entra em pânico, se desespera, não se conforma, não quer voltar sem o filho ao seu lado. Não aceita ver o filho se casar com uma moça pobre, insiste com o filho, mas não adianta. Sendo assim o pai volta só com a esposa que apóia o filho, pois queria ver a felicidade do filho. Assim é o amor de mãe.

E a rotina na fazenda voltaria ao normal, muitos dias se vão, semanas se passam e mais uma vez o inesperado acontece. Juarez tem um AVC e fica em uma cadeira de rodas, está sob os cuidados da irmã de Rebeca. Pablo está na cidade inconformado, irado sofrendo muito a separação do filho e a dor é grande pelo incidente do irmão. Três semanas depois ele também tem um AVC e vai parar em uma cadeira de rodas.

O filho busca o pai e a mãe para morar na fazenda, algumas semanas depois é o fim da colheita. Ruanito convida todo povo para vir até a sede e pela primeira vez aquela gente entra pelo portão e fica em frente ao casarão ocupando aquele espaço ajardinado em volta da casa. Lá na varanda estão Estelita, Rebeca e Ruanito, Sanches e ao fundo da varanda estão Pablo e Juarez em uma cadeira de rodas.

Ruanito ergue os braços e pede silencio para o povo e faz um discurso com essas palavras:

“Honrado povo da fazenda Cafezal que agora passará a se chamar Fazenda Sinos do Amor. Meu pai e meu tio não estão bem de saúde e passaram para mim o direito de posse dessa fazenda, eu sou o único herdeiro dessas terras e já foi me dado o direito de assumir a fazenda e a partir de hoje eu sou o vosso patrão. Sanches continuará sendo o administrador. Podem ter uma certeza que o cenário aqui vai mudar, será bem diferente da atual. A vila em que vocês moram será em breve apenas barracos para armazenas insumos agrícolas. Em breve vocês irão morar em casas de alvenaria com todo conforto. Vocês terão salário digno para cuidar bem das vossas famílias. Só uma coisa peço a todo vocês. Plantem amor que vocês irão colher amor. Estelita chorava de emoção ao ouvir o filho falar. Rebeca também chorava muito. Sanches abraça Ruanito e o povo todo se emociona.

Os fazendeiros estão sentados nas cadeiras de roda, abatidos, estáticos, perplexos e envergonhados com tanta maldade que cometeram com aquela gente. De repente quatro homens sobem a escada e põem Ruanito nos ombros e saem pelo jardim e todo povo grita “Viva Ruanito!”.

Dois meses depois Ruanito e Rebeca se casam, uma grande festa com o povo pelo fim da colheita e pelo casamento de Ruanito e Rebeca. Alguns anos já se passaram, Pablo e Juarez já faleceram, mas pagaram um alto preço por tanta maldade que cometeram com aquele povo. Uma colonha co cento e dezenove casas de alvenaria com todo conforto fora construída para os trabalhadores da fazenda. Todos recebiam salários dignos s conforme o prometido por Ruanito. Acabou-se a escravidão, o Sino do Amor bateu bem alto em pleno sertão.

No casarão mora Ruanito, Rebeca e Estelita com dois netinhos. Lá no portão bem no alto um grande sino simbolizando o nome da fazenda com essas palavras:

“Fazenda Sinos do Amor. Que Deus nos abençoe e que nunca deixemos de bater o sino do amor”.

 

Até a próxima se ele assim nos permitir.

URL curta: http://uraionline.com.br/new/?p=14762

23 Comentários para “Sinos do Amor – Final”

  1. yuri

    Amar é sempre ser vulnerável. Ame qualquer coisa e certamente seu coração vai doer e talvez se partir. Se quiser ter a certeza de mantê-lo intacto, você não deve entregá-lo a ninguém, nem mesmo a um animal. Envolva o cuidadosamente em seus hobbies e pequenos luxos, evite qualquer envolvimento, guarde-o na segurança do esquife de seu egoísmo. Mas nesse esquife – seguro, sem movimento, sem ar – ele vai mudar. Ele não vai se partir – vai tornar se indestrutível, impenetrável, irredimível. A alternativa a uma tragédia ou pelo menos ao risco de uma tragédia é a condenação. O único lugar além do céu onde se pode estar perfeitamente a salvo de todos os riscos e perturbações do amor é o inferno.

  2. Takeshi

    Parabéns pela brilhante história de amor.
    Sua vida pode ser uma comédia, uma aventura ou uma história de superação, sucesso e amor. Mas pode ser também um drama, uma trajédia ou a monotonia da não-mudança.

    Porque todos nós temos tudo isso em nossas vidas. O que muda é como editamos, em quais experiências mantemos o foco e sobre o que falamos.

    Fale do drama, e sua vida será um drama. Fale da aventura e a mesma vida será deliciosa.

  3. Aldo Novak

    Show. amei. li todas

  4. Doni

    Amei. Beijos do Doni.

  5. Flávio Rocha

    Sensacional. Parabéns.

  6. Francisco Chagas

    Lindo demais. super emocionante. minha família adorou.

  7. Geraldo Suki

    Chorei muito quando li o final. Lindo lindo lindo lindo….

  8. Grazy ferreira

    Bravoi!!!

  9. Jorge da capadócia

    Sem palavra Jair. Apenas lágrimas…

  10. Jota

    Maravilhoso, linda história, parabéns.

  11. Jorge Rolo

    /Chorei. emocionei. adorei. imprimi as 3 partes.

  12. Leda Nagli

    Voce deveria escrever um livro

  13. Veridiana Nnes

    Jóia rara da literatura brasileira.

  14. Vitória

    Coisa linda, apaixonante, emocionante ao extremo. parabéns continue sendo esse belo escritor.

  15. Paula Saldanha

    Lindo texto Jair.
    A felicidade é a conquista do sucesso interior.
    Sentir-se realizado, feliz, amado e próspero é uma
    ambição natural de todos nós. Todavia, só conseguiremos
    chegar ao topo, se tivermos o otimismo audacioso de confiar
    nos poderes do invisível. Sob a proteção do amor do Universo,seguirmos para frente sem medo de viver.

  16. Orácio Ucho

    Bonito demais, li as tres partes e imprimi para meus netos.

  17. Igor

    Cavalguei perante cada linha dessa magnifica historia. parabens jair.

  18. Terence Trent

    Jair,
    Hoje o dia amanheceu mais cedo, pra lhe dar os parabéns;
    Hoje o sol está mais brilhante, para iluminar ainda mais o seu grande dia;
    Hoje as nuvens se esconderam, para preparar uma surpresa pra você;
    Hoje a tarde virá mais devagar, para dar tempo de todos lhe desejarem felicidades;
    Hoje o pôr do sol será mais lento, para a lua vir com as estrelas e festejar com você;
    E quando chegar a noite não esqueça de agradecer o seu dia, assim como eu agradeci por ter te conhecido.
    Parabéns!

  19. Rosi Kobn

    Fantastico novamente

  20. Eliane Ferreira

    Muita paz, sabedoria e saúde professor Jair.

  21. Wonder land

    histórias de amor são sempre lindas, mas, as suas superam.

  22. Quenia

    Grande Jair. Parabéns novamente meu caro.

Deixe um Comentário

Imagens

Desenvolvido por Media Point