As Andorinhas não voam mais

hqdefaultOi gente, um forte abraço. O nosso ultimo texto foi “Mundo Colorido”. Hoje vou escrever falando de Uraí, vou mencionar alguns fatos bem antigos, alguns mais recentes e talvez falar também sobre nossos dias atuais. Todos os fatos que virão à tona foram comandados pelo poder público, fatos que causou revolta e indignação para a maioria dos uraienses.

Mas antes de dar início nesses fatos tão desagradáveis que ocorreram em vários mandatos do poder executivo, quero deixar bem claro que tudo aquilo que for mencionado nessa mensagem não tem por intenção tirar o mérito de nenhum cidadão que comandou a nossa cidade. Veja a nossa nova mensagem.

Talvez fosse melhor que eu ficasse calado, mas o meu objetivo único é descrever, no sentido de alertar as pessoas que estão no poder, no comando, que ocupam um cargo de destaque na sociedade. Caros amigos, vocês se lembram daquele texto que escrevi há tempos atrás: “O meu alerta”. Ele, esse texto é a chave para as pessoas que estão no poder, no comando. Só com amor e humildade as pessoas conseguem governar, comandar com sabedoria, porque onde está o amor e a humildade, o orgulho não entra, não senta em uma cadeira, mesmo que ela seja de ouro. Onde está o amor não há corrupção e ai aparece a mão de Deus para guiar o comandante com sabedoria. Isso é o que diz o texto “O meu alerta” (que escrevi para um amigo meu quando ele assumiu o cargo de prefeito).

Ninguém é dono do poder O poder é algo transitório, ele passa e se acaba, mas ele deixa marcas existenciais de boas lembranças na nossa vida, o poder pode nos levar a um alto pedestal ou nos jogar na lama.

Tivemos aqui um prefeito, que até hoje está na memória do povo uraiense Em uma só voz, todos que fizeram parte da sua administração, dizem que ele foi o melhor prefeito da história de Uraí, o saudoso Dr. Akira Tamura.

Tivemos ainda um prefeito, que eu o intitulo como “o prefeito ecológico”. A cada chuva que dava podíamos ver funcionários públicos plantando árvores em nossas ruas. Quando não chovia, la estava o caminhão pipa aguando as árvores. No pé de muitas mudas podíamos ler uma placa que dizia: “Árvore é vida e vida não se destrói”. – Wanderlei Boselli Dantas. Esse foi o mais carismático prefeito que já tivemos em Uraí. Muitos criticam sua administração, foram duas e uma se não me engano teve seis anos de mandato, mas eu creio que a maior parte do povo uraiense ama o Dr. Wanderlei Boselli Dantas, uma pessoa muito bondosa que ajudou muita gente na Santa Casa.  Muitas vezes ele atendia em sua residência, e não cobrava consulta das pessoas pobres, sua bela casa estava sempre com o portão aberto. Parabéns Wanderlei, que Deus te abençoe sempre.

E agora vamos novamente entrar no túnel do tempo e buscar os fatos que causaram indignação e revolta em muita gente da nossa cidade. No finalzinho da nossa Avenida Brasil, em um espaço de terra onde as árvores não ofereciam nenhum perigo, havia duas frondosas paineiras bem antigas que faziam sombra para os carroceiros que faziam ponto naquele local. Um belo dia, que o sol marcava uns quarenta graus, os carroceiros e alguns populares ali estavam desfrutando daquela sombra aconchegante, do nada para um carro da prefeitura e dele descem quatro pessoas e uma delas com uma motosserra em mãos: “Vamos cortar as paineiras”, disse o secretário do prefeito. Houve um espanto incontrolável, um carroceiro se ajoelhou e pediu com muita emoção que as paineiras não fossem cortadas, outro segue até o batalhão da polícia militar, que ficava ao lado, mas os policiais nada puderam fazer. O secretário segue até o gabinete da prefeitura e volta com a resposta do poder público: “As árvores serão cortadas”. E as paineiras foram ao chão e deixou muita gente revoltada, e os carroceiros com lágrimas nos olhos.

As paineiras estavam em um lugar adequado, não ofereciam perigo, embelezava o final da Avenida e abrigava em sua sombra os cavalos, os carroceiros e as pessoas que ali faziam ponto para ganhar a vida. Porque será que o poder público mandou cortá-las? Será por causa dos espinhos que ela produz em seu tronco? Ou porque suas painas voavam pelos ares e caiam pela rua? Ou porque elas não produzem frutos? Fica para mim um ponto de interrogação.

Quantas árvores secas estão ocupando um cargo no poder público e não são cortadas, quantas árvores que estão no poder e não produzem frutos, não produzem sombras para ninguém, corroem o dinheiro público, mas estão ali no poder vivendo como se fossem árvores frondosas. Se fossemos cortar as árvores secas que estão no poder, seria um Deus nos acuda.

O mesmo comando desce na Vila Pirianito e cortam vinte e dois pés de manga de qualidade, as mangas não apodreciam no chão, eram colhidas ainda no pé pelas pessoas ali da vila, o mangueiral, que foi plantada carinhosamente pelo prefeito ecológico, se acabou, simplesmente por capricho.

A mesma equipe sobe até o estádio Dr. João Ribeiro Jr, e joga no chão todos os eucaliptos que faziam sombra ao redor do estádio. Um ato de vingança por causa de uma intriga entre um amicíssimo da pessoa que comandava a administração pública e outro que comandava o esporte municipal. Esse foi o meio de ofender algumas pessoas que tinham muita influência no meio esportivo, mas eram opostos ao poder público.

E novamente o mesmo comando, e dessa vez encabeçado pela pessoa que era chefe do executivo, a praça da matriz ferveu como se fosse um bando de gafanhotos devorando uma lavoura. Era um domingo de manhã, a motosserra amarelinha e barulhenta comandou o desmatamento. Nossas árvores foram quase todas ao chão. Motivos? Segundo os responsáveis pela poda, as árvores eram muito velhas e um novo reflorestamento seria feito. O tempo passou… Fim de mandato, o povo vai às urnas e elege outra pessoa para ser o novo prefeito. A nossa praça pela primeira vez na historia fica nua, sem árvores.

Uraí está com um novo comando, e o corte das árvores segue a todo vapor, pelas ruas da nossa cidade podíamos ver caminhões de madeira sendo cubicados por vários pontos da cidade e sendo levado para a olaria, um comércio de madeira a céu aberto. Os meses se passavam, o nosso asfalto, que já era ruim, piorou, e nossas ruas eram quase intransitáveis e assim foi por quatro anos, Uraí ficou parada no tempo.

Um novo prefeito assume o comando e esse cidadão fez um bom trabalho, foi um bom prefeito, mas tem um porém, no final do seu mandato, o candidato que foi por ele apoiado perdeu as eleições e o prefeito ficou muito revoltado, e os fatos que ocorreram antes dele entregar o poder para o seu maior adversário político, mancharam sua história, que poderia ser tão bonita, fatos esses que estão até hoje na lembrança de muitos uraienses.

Mais uma eleição em Uraí, um Novo Tempo, e um ex-prefeito assume o poder, governa por quatro anos, tudo como antes, muitas arvorem cortadas. Esse prefeito priorizou a saúde, e nessa parte ele foi impecável. Os anos se vão novamente, o povo vai às urnas e o elege novamente, e o seu novo mandado é interrompido pela Câmara Municipal. Para mim, um ato de maldade, que começou por uma processante montada em cima de algo que o prefeito nem sabia quem foi o dono da arte. O cidadão mais renomado da nossa história, cinco vezes prefeito, o maior empresário da nossa história é cassado injustamente. Pela dimensão do seu currículo e por tudo o que fez por Uraí ele, o Sr. Susumo Itimura não merecia beber um cálice tão amargo como esse. O vereador que foi o dono da arte diabólica recebe por capricho do destino, com a mesma moeda, teve os seus direitos políticos cassados É jornalista, foi enxotado da rádio onde fazia programa e hoje é um cidadão quase esquecido em Uraí. Após o desfecho, o vice-prefeito assume por um ano e meio, e depois vai as urnas e se elege como prefeito. Em seu mandato, o seu maior pecado foi ter inflacionado a folha de pagamento, e a situação foi ficando embaraçada, a prefeitura virou um cabide de empregos e o dinheiro não sobrava para melhoria da cidade, mas com alguns milagres ainda fez algumas coisas. Esse prefeito desde que assumiu o comando sempre cogitou um projeto de arborização em nossa cidade, mas esse projeto nunca saiu do papel. Creio eu que ele tinha mesmo essa vontade, mas faltou com certeza a parte monetária. Se não me engano, dois anos de mandato, e o estopim se ascendeu novamente, não deu mais para tapar o sol com a peneira, os problemas começaram a aparecer e uma nova processante foi instaurada, e antes da cassação, ele renunciou.

E agora, eu, Jair Garcia Martins, mais conhecido como Jair Padeiro, peço licença para todos para entrar na história que estou desdenhando.

Dez de março de dois mil e dez, eu estava sentado em um banco da praça observando a mesma, com apenas algumas árvores, e vendo a sua nudez, foi então que tive a idéia de plantar uma árvore atrás de cada banco. Assim eu fiz, plantei vinte e cinco árvores na Praça Getúlio Vargas (Matriz). Na falta de chuva eu aguava todas elas, tomei amor pela natureza e sai plantando por todas as ruas da nossa cidade, e plantei cento e cinqüenta, na beira do rio Congonhas, no Sítio onde tenho vários enxames de abelhas. Escrevi vários textos falando da natureza para tentar salvar as nossas árvores. O primeiro texto que escrevi foi “O tombo das árvores” e depois “O velório da natureza”, ninguém esquece o cenário de bang-bang, carta de protesto, nota de esclarecimento e depois escrevi o dia da árvore. E no dia da árvore, em uma solenidade, em uma de nossas escolas, fui homenageado pelo prefeito, pela secretaria, coordenadoras e diretora, e membros do I.A.P. O texto foi lido pela diretora e teve muitos aplausos, senti muita emoção e fiquei feliz em ver minha mensagem sendo passada às crianças que virão a compor o futuro de nossa sociedade, quem sabe assim, as próximas gerações sejam mais verdes e floridas que a nossa.

Já plantei em Uraí mais de três mil árvores e continuo plantando até hoje. Se você quiser plantar uma árvore, não precisa gastar seu dinheiro, é só me chamar e terei o prazer de levar gratuitamente a muda da árvore, e inclusive plantá-la.

Agora, o que eu posso dizer dos nossos dias atuais? Do prefeito do momento? Prefiro não tecer nenhum comentário sobre sua gestão. Cada um analise por si mesmo e tire suas conclusões.

As árvores que plantei na praça estavam frondosas e fazendo muita sombra, mas foram todas cortadas recentemente, vinte e três arvores que plantei no dia onze de novembro de dois mil e dez, na Alameda França, à beira de uma praça, fazia sombra em um quarteirão inteiro, foram todas cortadas. Fiquei sabendo desse crime ambiental só à noite, quando estava no mercado fazendo compras, quase me deu um infarto. No outro dia bem cedo fui até o local e achei no chão dezoito filhotes de passarinhos mortos e muitos ovinhos quebrados. Debrucei-me sob o tronco cortado de uma árvore me perguntando o porquê de tamanha maldade com a natureza, que nos faz tão bem. Uma árvore pode sim ser cortada quando ela oferece perigo, quando está no lugar inadequado. Podemos cortar até uma floresta inteira se for para o progresso de uma cidade, mas nunca porque ela é de mata ciliar ou porque produz espinhos. A laranja é doce e serve para chupar, o limão é azedo, mas serve para fazer uma saborosa limonada. Cada coisa tem o seu valor, o nosso Deus não fez nada sem utilidade. Uma árvore depois de muito velha se estiver oca, ainda acolhe uma colméia e ali é produzido muito mel. E como já citei acima, uma árvore seca que está no poder, para nada serve, a não ser sugar o dinheiro público.

Chegando ao fim dessa mensagem, quero que todos vejam as árvores que plantei em alguns pontos da cidade, e quero em especial que todos olhem a nudez da Praça da Matriz. Aqui não teremos mais revoadas, as andorinhas não tem onde pousar.

 

O nosso ilustre prefeito quer derrubar essa linda mata que a própria natureza comandada pela mão de Deus criou aqui no morro do Cruzeiro. Quer criar um novo cenário com novas árvores, que levariam anos, e talvez até décadas para atingirem tamanha magnitude como as que lá estão!

Se essa pequena mata ir ao chão será o maior crime ambiental já cometido em nossa cidade, maior do que todos aqueles já citados no texto acima.

Que Deus ilumine a mente do ministério público, para que ele toma as devidas providencias e salve a mata que está no morro do Cruzeiro.

 

Obs.: A Ordem dos prefeitos e seus mandatos não estão na seqüência correta.

 

Jair Garcia Martins

15/02/2016

 

EM BREVE VÍDEO DA CIDADE DE URAÍ E AS ÁRVORES MENCIONADAS NO TEXTO! AGUARDEM!

URL curta: http://uraionline.com.br/new/?p=14420

22 Comentários para “As Andorinhas não voam mais”

  1. Aldo H. M. dos Anjos

    Devo dizer que enormemente, faz uma terrível falta as sombras da majestosas árvores que cobriam nossas ruas… a principal avenida, a Av. Brasil, que de ambos os lados tinham árvores grandes que faziam sombra em toda a rua, e também todas as ramificações que se ligavam a ela. Há uns 10 anos atrás ainda restavam algumas, eu saia da escola que ficava a cerca de 1km e meio de casa e podia caminhar vagarosamente pelas calçadas, às sombras das árvores que tinham por todo caminho.
    Hoje em dia quem anda à pé por essas ruas tem que usar proteção pra não pegar um câncer de pele! Antigamente os pais buscavam os alunos na escola em dia de chuva, hoje precisam buscar nos dias de forte sol!
    Se acreditar no Serviço Público fosse o suficiente… gostaria eu de ver algum dia nossas ruas cobertas de sombras novamente! Onde as crianças pudessem brincar descalças sem queimar os pés!

  2. Takeshi

    Grande Jair, falou pouco, mas, falou bonito como sempre.
    do seu fan.

    Takeshi.

  3. Jorge da Capadócia

    Há quanto tempo meu amigo. Sempre arrebentando a boca do balão hein. Parabéns

  4. Uraí Nerd

    Eu não sei o que pensam as pessoas que arrancam arvores.

  5. Roberto Kamaura

    Triste e lamentável o que fizeram com árvores em Uraí. Justifica-se que sejam cortadas quando colocam em risco a integridade física ou a segurança das pessoas. A praça, por exemplo,na minha opinião ficou pálida e sem graça sem as árvores que foram eliminadas.Parabéns, Jair, por este grito de revolta nesta manifestação de amor pela natureza.

  6. Nao moro em uraí ,mas sou filha dessa terra e meus pais moram uma rua abaixo da alameda frança realmente ali existia belas arvores era uma praça linda ,maravilhosa cm sombras exuberantes e derrepente tudo se acabou nao sei o motivo , hj o que se encontra e uma praça horrivel cheia de matos,sem contar o descaso cm o asfalto.Fica aki minha pergunta sera que as pessoas que ali estao tbm nao paga seus impostos?

  7. Marcelo Ferreira

    Parabéns, eu não sei o que tem na cabeça o prefeito que só quer destruir.

  8. Karine

    Coisa de louco esses prefeitos. Um pior que o outro.

  9. Jefferson

    Meta o pau Jair.

  10. Luiz Antonio Geraldi

    Palhaçada esse desmatamento

  11. Jair

    Continue plantando Jair, Deus tá vendo.

  12. Ulisses

    Parbéns ótimo texto. para refletir.

  13. Tania Mara

    Assim que se fala e se faz.

  14. Durval Lima e Souza

    Esses políticos só pensam no próprio umbigo.

  15. docky

    Lindas palavras, mas, a podridão da m á administração é triste.

  16. Eliane Ferreira

    Que Deus continue te iluminando para continuar a trazer a tona a verdade sobre os fatos.

  17. Viviane Shimada Rossi

    Gostaria de agradecer Jair, pela árvore no nosso laboratório LabVida. Ela traz vida pra nossa esquina. Obrigada!!

  18. antonio carlos bachim

    saudades da praça desta terra que sempre amei jair nao desista dos teus sonhos parabens carlinhos bachim vtaba

  19. antonio carlos bachim

    saudades da praça desta terra que sempre amei jair nao desista dos teus sonhos parabens carlinhos bachim

  20. Olhos Aquilinos

    Jair,

    A lei brasileira, por intermédio da CF, conforme preconiza o Art. 5º, Inciso LXXIII, assegura a qualquer cidadão brasileiro que esteja ativo com seus direitos e deveres políticos, o direito de mover, assistido por um Operador do Direito, uma Ação Popular para buscar responsabilidades e reparação a situações de lesão ao meio ambiente, ao patrimônio público, a moralidade administrativa e ao patrimônio histórico e cultural.

    Esta ação não pode parar, se o autor desistir o Ministério Público tem o dever de dar a continuidade.]

    Procure um bom Advogado e faça a respectiva apresentação.

    Sucessos.

Deixe um Comentário

Imagens

Desenvolvido por Media Point